• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Quinta, 20 Junho 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Dom.
 24° / 15°
Céu nublado com chuva fraca
Sáb.
 29° / 12°
Períodos nublados
Sex.
 25° / 14°
Períodos nublados
Torres Novas
Hoje  24° / 14°
Céu nublado
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Caminhamos para o abismo

Opinião  »  2019-02-07  »  António Gomes

"Quando falamos de educação, estamos a falar de matérias que interessam a toda a sociedade torrejana"

Foi recentemente colocado em discussão pública (já terminada) o Plano Estratégico Educativo Municipal para os próximos 4 anos. Este plano é da responsabilidade da autarquia, que o encomendou a um centro de estudos da Universidade Nova de Lisboa coordenado pelo professor David Justino.

Quando falamos de educação, estamos a falar de matérias que interessam a toda a sociedade torrejana: comunidade educativa, sector empresarial, sindicatos, autarquia, partidos políticos, população.

Não sendo o único instrumento para o desenvolvimento local, é, no entanto, fundamental.

O estudo, de uma forma muito sintética, afirma: que daqui a 7 anos, num cenário optimista, seremos menos 3.500 habitantes, teremos menos 1.100 alunos, seremos 224 ativos para 100 idosos (menos 37 ativos que em 2011); actualmente existem 3.042 fogos de habitação vagos, mas não disponíveis para arrendamento, um número de cidadãos e cidadãs beneficiários do RSI muito elevado. O estudo diz ainda que a média de idades dos professores e professoras é de 48,7 anos, considerada muito alta, e que a média de alunos por turma é de 19,8, superior à media nacional e muito superior à media regional, que se situa em 17,4; as escolas que existem no concelho comportam 6.155 alunos, mas apenas 3.753 as frequentam; já agora, referir que as retenções e ou desistências no secundário foram 25,81% no ano letivo de 2013/2014, o que é no mínimo assustador, digo eu, e já agora também referir que o estudo conclui que temos um saldo migratório com os concelhos vizinhos muito negativo.

Muitas outras questões são tratadas, mas naturalmente não cabem aqui. É bom dizer que estes números deveriam fazer tocar todas as campainhas e mais algumas, na autarquia em primeiro lugar, mas também na comunidade educativa. Mas assistimos a um silêncio ensurdecedor, parece que tudo se faz para que nada se saiba.
O que pensa o vereador da educação? O que pensam os responsáveis das escolas perante este cenário?

Que debates públicos foram promovidos pelas escolas para envolverem os professores(as), os alunos(as), os pais e mães... Como vai o PDM, em revisão, responder à situação que estes números evidenciam?

Fizeram bem o BE, mais algumas instituições e cidadãos, em apresentar propostas alternativas ao documento em apreço, que não apresenta soluções para tão drástico cenário.
Era bom que tentássemos fugir do abismo.

 

 

 Outras notícias - Opinião


Democracia »  2019-06-19  »  Inês Vidal

Somos todos pela democracia. Menos quando ganha quem não queremos. Esta coisa da democracia tem que se lhe diga. Que o diga eu que, nunca falhando a umas eleições, nunca vi ganhar nenhumas. Fica sempre um sabor amargo na boca, uma angústia de não ver ganhar quem se quer.
(ler mais...)


O Tempo dos Gelados »  2019-06-19  »  José Ricardo Costa

Uma coisa que a natureza tem de bastante simpático, facilitando-nos a vida, é a sua circularidade. Por exemplo, as estações do ano. Fosse a natureza destrambelhada e nada poderíamos prever, deixando-nos à nora sobre o que fazer no dia seguinte.
(ler mais...)


Problemas de memória »  2019-06-19  »  Hélder Dias

Glifosato Man »  2019-06-19  »  Hélder Dias

Agustina, a crise na direita, a doença da social-democracia e a teia »  2019-06-07  »  Jorge Carreira Maia

AGUSTINA BESSA-LUÍS. O século XX português teve uma mão cheia de excelentes romancistas. A atribuição do Nobel a Saramago reconheceu isso. Se tivesse sido a Agustina, não teria ficado mal entregue.
(ler mais...)


Parabéns, abstenção! »  2019-06-06  »  Anabela Santos

Muito se tem falado, já tudo foi dito e é do conhecimento de todos que as eleições europeias realizadas no dia vinte e seis de Maio trouxeram uma vitória para a esquerda, excepto para o PCP, e uma acentuada derrota para a direita.
(ler mais...)


Encruzilhada »  2019-06-06  »  António Gomes

Já assim era, mas depois das últimas eleições europeias a interrogação subiu de tom: vai ou não haver geringonça após as próximas eleições legislativas? – as pessoas perguntam.
(ler mais...)


GREVE? »  2019-06-06  »  Denis Hickel

gre·ve
(francês grève)
substantivo feminino
Interrupção temporária, voluntária e colectiva de atividades ou funções, por parte de trabalhadores ou estudantes, como forma de protesto ou de reivindicação (ex.
(ler mais...)


Quando a pedra é o sapato »  2019-06-06  »  Ana Sentieiro

Ontem trajei pela primeira vez. A Noite de Serenatas enlatou a comunidade académica da Universidade do Minho no Largo da Sé. A escuridão dos trajes iluminava os corações dos presentes, aquecia os abraços e motivava as lágrimas ao som da melodia das guitarras portuguesas.
(ler mais...)


Bruno Lage, privatizações, comendas e europeias »  2019-05-26  »  Jorge Carreira Maia

BRUNO LAGE. O actual treinador do Benfica é, justamente, louvado pelo que fez no campo desportivo. Se o Benfica é campeão deve-o a Bruno Lage. Quero, porém, louvá-lo por outra coisa.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2019-05-26  »  Jorge Carreira Maia Bruno Lage, privatizações, comendas e europeias
»  2019-06-07  »  Jorge Carreira Maia Agustina, a crise na direita, a doença da social-democracia e a teia
»  2019-06-06  »  Ana Sentieiro Quando a pedra é o sapato
»  2019-06-06  »  António Gomes Encruzilhada
»  2019-06-06  »  Denis Hickel GREVE?