• SOCIEDADE-  • CULTURA  • DESPORTO  • OPINIÃO
  Quarta, 18 Setembro 2019    |      Directora: Inês Vidal    |      Estatuto Editorial    |      História do JT
   Pesquisar...
Sáb.
 22° / 17°
Céu nublado com chuva moderada
Sex.
 29° / 16°
Céu nublado
Qui.
 29° / 16°
Céu nublado
Torres Novas
Hoje  30° / 16°
Períodos nublados
       #Alcanena    #Entroncamento    #Golega    #Barquinha    #Constancia 

Época balnear

Opinião  »  2018-08-15  »  António Gomes

"Não encontrei grandes alterações, apenas uma subtileza, ou se calhar uma mania de implicar… "

Na época balnear, o primeiro dia de visita à praia é sempre assim: quais são as novidades? A organização da coisa - os espaços para estacionamento, os acessos à dita, o espaço para arear… tudo na mesma, pouco mudou ou pelo contrário, grandes mudanças? Isto para quem vai sempre para o mesmo local… parece que não sabemos outro caminho, é prá li e pronto.

Não encontrei grandes alterações, apenas uma subtileza, ou se calhar uma mania de implicar… Há poucos anos, a praia era uma liberdade total, imenso areal, sem constrangimentos, era chegar e estender a toalha e colocar o chapéu onde nos apetecesse, prá esquerda, prá direita, centenas de metros pró povo aproveitar a quinzena.
Há três anos houve grandes novidades: um restaurante próximo todo acolhedor, um belo passadiço até à areia e claro no final do passadiço, à esquerda cem metros de chapéus e respetivas espreguiçadeiras, privatizaram (privatizar não se pode dizer, é muito esquerdista, concessionaram) cem metros de praia, até nem ficou mal e a malta tem direito ao descanso sem ter que ir com o carrego do chapéu, das cadeiras, etc., ficaram lá várias centenas de metros, prá malta escolher onde plantar o chapéu.

O ano passado a novidade é que tinham privatizado (concessionado) mais cem metros para a direita. Ok, faz-se esse esforço e andamos cem metros com o chapéu às costas e a respetiva cadeira, mais uns utensílios para a pequenada, se for o caso. A praia fica mais in como parece ser moda agora, dá um ar mais arrumado e até tem os vigilantes que zelam pela segurança da malta.

Este ano, acrescentaram mais 50 metros à concessão do lado direito (privatização fica mesmo mal…) e assim lá afastaram a malta que carrega os chapéus e as cadeiras um pouco mais para lá. É certo que deixaram no meio, entre a concessão da esquerda e da direita um espaço, de uns 10 metros, ou talvez quinze para não cometer uma injustiça, para os carregadores do chapéu e da cadeira. Rapidamente este espaço ficou lotado, como é de prever, mas o que conta é que aquele espaço está lá, não venham dizer que privatizámos tudo (privatizámos, lá está outra vez a palavra…), a democracia não foi esquecida a praia é para todos e todas, mais para uns que para outros, mas o que é que querem?

Esta coisa lembrou-me logo o episódio do início de Agosto, que animou a malta “do face”, a gentrificação, devem estar lembrados.
Outro episódio que também me veio logo à memória (vá se lá saber porquê, apanhamos estes vícios em pequeninos e depois é o que se vê) mesmo calibre, passou-se cá no burgo com a história dos precários na câmara municipal. Os trabalhadores mais qualificados, lá se conseguiu, fez-se um esforço para passarem aos quadros do município, está certo, é justo, mas quanto aos e às trabalhadoras da limpeza, a coisa já não foi assim, têm de continuar precários e mal pagos, o esforço já não é possível.

A praia até estava agradável, a água fria, o pessoal queixa-se, mas como é que querem que se aqueça tanta água? Não se pode exigir tudo do governo… O pessoal é muito exigente.

Um grupo de homens, julgo que emigrantes do norte de África, tentava fazer pela vida: o produto eram as toalhas, mas pelo que pude observar, o negócio não deu prá bucha. Tempos difíceis, principalmente para quem tenta a sorte noutras paragens.
Para primeiro dia, não foi nada mal.

 

 

 Outras notícias - Opinião


Descalabros, duelos, metamorfoses e Inferno »  2019-09-07  »  Jorge Carreira Maia

O DESCALABRO DA DIREITA. As sondagens têm vindo a indicar que a direita democrática está à beira de um resultado desastroso, por volta dos 25%, somando velhos e novos partidos.
(ler mais...)


O nome da terra, por João Carlos Lopes »  2019-09-06  »  João Carlos Lopes

É sintomático que, em tempo de eleições, nenhum dos partidos tenha dito uma palavra sobre essa vaca sagrada que é o futebol e sobretudo acerca do estado de guerra em que as claques dos “três grandes” transformam as terras por onde passam.
(ler mais...)


Turismo ou nem por isso »  2019-09-05  »  António Gomes

A época que atravessamos é propicia à reflexão sobre esta actividade económica, o turismo.
O turismo, como toda a gente sabe, atravessa em Portugal um período particularmente estonteante. São as grandes metrópoles as mais beneficiadas com tal actividade, é lá que se encontram as maiores fontes de atracção e é lá que as infraestruturas estão mais adaptadas e melhor respondem às solicitações.
(ler mais...)


Antiga Fábrica de Fiação e Tecidos: sonho ou possível realidade? »  2019-08-25  »  Anabela Santos

Falar da valorização de um espaço que é tão importante para uma grande parte dos torrejanos é imperativo mas não é novidade.
Já muitos falaram e escreveram sobre o assunto, desejando que alguma mente iluminada e com vontade de fazer o melhor pela cidade tome alguma iniciativa no sentido de valorizar o património arquitectónico e histórico de uma fábrica que deu tanto à nossa cidade.
(ler mais...)


Repuxos, por Inês Vidal »  2019-08-25  »  Inês Vidal

Esta malta dos jornais é lixada. Parece que está do contra, sempre a dizer coisas. Ou então é de esquerda, só pode. Atrevem-se a noticiar as coisas que acontecem, esses filhos da mãe. Caso contrário, íamos fazendo as coisas à mesma, a nosso bel-prazer, mas ninguém dava por elas ou as questionava.
(ler mais...)


A greve dos motoristas »  2019-08-23  »  Jorge Carreira Maia

PÔR O REGIME À PROVA. Na greve dos motoristas de matérias perigosas coincidiram duas vertentes que, para os próprios interessados, não deveriam ter coincidido. A luta laboral por reivindicações que merecerão respeito e um desafio às instituições políticas e ao regime.
(ler mais...)


À mulher de César não basta ser séria… »  2019-08-09  »  António Gomes

Vem isto a propósito da aquisição de imóveis pela Câmara de Torres Novas, sitos em Riachos. Só o BE votou contra.

Os proprietários propuseram a aquisição e a Câmara comprou.
(ler mais...)


Bons Sons »  2019-08-09  »  Inês Vidal

Treze anos, dez edições, uma aldeia em manifesto. Arrancou ontem, dia 8, mais uma edição do festival Bons Sons, que anualmente traz a Cem Soldos, concelho de Tomar, milhares de pessoas e música, muita música portuguesa.
(ler mais...)


Carteiro »  2019-08-09  »  Ana Sentieiro

A genética é, de facto, uma coisa incrível! Contudo, no meu caso, a genética desempenha mais o papel de progenitor ausente, que se esquece do meu aniversário, não sabe o meu número de telemóvel e saca duas notas de vinte da carteira de pele quando está folgado e diz, “Para te divertires, mas não digas à tua mãe!”.
(ler mais...)


Livros para férias »  2019-08-09  »  Jorge Carreira Maia

COMO MORREM AS DEMOCRACIAS. Autores Steven Levitsky & Daniel Ziblatt, ambos professores em Harvard. Uma reflexão com incidência americana, mas apoiada no estudo das mortes da democracia nos anos trinta do século passado, na Europa, e nos anos 60 e 70, também do XX, na América Latina.
(ler mais...)

 Mais lidas - Opinião (últimos 30 dias)
»  2019-08-25  »  Inês Vidal Repuxos, por Inês Vidal
»  2019-08-23  »  Jorge Carreira Maia A greve dos motoristas
»  2019-08-25  »  Anabela Santos Antiga Fábrica de Fiação e Tecidos: sonho ou possível realidade?
»  2019-09-06  »  João Carlos Lopes O nome da terra, por João Carlos Lopes
»  2019-09-07  »  Jorge Carreira Maia Descalabros, duelos, metamorfoses e Inferno